terça-feira, 12 de julho de 2011

Não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti!

A propósito de dois posts que li nos últimos dias, um dos quais no blog do Santiago, as mães relatam a má formação que vamos vendo por aí... e á medida que os leio fico com "comichões..." Quando é que se começa a compreender que a liberdade de alguém termina onde começa a de outrém?!.

Cada vez é mais frequente assistirmos a histórias de pais que de tal, só têm o nome (nem de propósito, no fim de semana, discutiamos isso, com o Ricardo e a Susana, ser pai ou avô, ás vezes só o é no papel...)

Cada vez mais se assiste a putos alucinados, e a pais que não estão nem aí, que lhes desculpam tudo, e só se preocupam em não ouvir as suas lamúrias...Educar não é fácil, ninguém o garantiu, mas a opção foi nossa. De facto, devia ter tanto de dificil como de prazeroso, mas infelizmente, nem toda a gente o entende assim. Ao negligenciarem educações, estão a criar uma persona non grata, e o seu amor, agora pequenino, corre o risco de se tornar num amor grande, completamente insuportável...

Nem de propósito, no fim de semana , deixámos o Martim brincar um pouco num parquinho de shopping, e se a coisa correu bem (estavam poucas crianças) rapidamente começou a descambar... Entrou lá uma peste (com o pai ao telefone..) e literalmente espalhou o terror, empurrou um menino do escorrega para o chão, pisou a mão do Martim enquanto este subia a escada e o tentou abalroar, empurrava os meninos que queria subir o escorrega, e levou-me á loucura...Fiquei calada, porque o Martim acabou pelo seu pézinho por sair do parque e dirigir-se á Chicco (consumista?!?!), mas estava pronta para perguntar ao Paizinho deste pequeno terrorista se lhe estava a saber bem o descanso (realmente não deve ser fácil aturar uma peste assim, mas a culpa não é dele..). Tal como as histórias que tenho lido, esta também me revoltou...

Não sou mãe de incentivar o meu filho a fazer aos outros o que lhe fazem, bem pelo contrário, mesmo tendo noção que o Martim é do género de miúdos que se fica muitas vezes perante uma "agressão", e nem me agrada ter o fazer... MAs também sei que não vou poder protegê-lo sempre, e assusta-me um dia não estar lá.


Algumas coisas são moda, esperemos que esta postura despreocupada de alguns, so called pais, seja uma moda passageira, e que passe, rápido, rápido!

4 comentários:

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

Sabes Sandra, até me doi pensar mal daquela menina, pq no fundo a culpa n é realmente dela, o feitio esta lá mas como tal deve ser moldado...pq eu tb tenho mau feitio e nao ando por ai a fazer o que quero, sei o bem do mal, mas o que é certo é que pensei...para mim naquela altura ela era uma persona non grata mesmo, doi-me pensar isto de uma criança que n tem a culpa, mas fazer o que?!


Quanto ás defesas eu Santiago não é de se ficar, reclama! Mas n é de bater...

Mami ( Sónia ) disse...

Infelizmente também assisto cada vez mais a essas cenas tristes em todo o lado. Os pais e os avós descartam.se de toda e qualquer responsabilidade sobre as suas crianças. Não por não os repreender que os vamos amar mais.
Que adultos irão sair dali???

Sandra disse...

Tânia, eu acho que a atitude do Santiago foi excelente, e afinal ele também só tem 3 anos e meio... Pura e simplesmente borrifou-se para ela...

Quando me refiro a persona non grata, refiro.-me ao futuro, mas infelizmente, há muitas crianças que de facto, se tornam incomodativas.. (claro que o problema é de quem sobre elas exerce influência) as crianças precisam de ser guiadas, tal como tu dizes, aprender a distinguir o bem do mal...

Sónia,

É como falo das modas, agora é moda, não repreender as crianças porque afinla, durante anos as crianças eram reprimidas....

nice disse...

Olá Sandra,
infelizmente cada vez mais se encontra crianças nos parques que são assim, uns terrores, a maioria das vezes fruto de negligencia por parte dos educadores. Os meu Rafael assusta-se e como não esta no colegio ainda pior, nunca se defende e fica apenas a observar ou foge. Custa-me esta atitude dele, mas penso que quando entrar para a escolinha ele acaba por ganhar as suas defesas. Mas agora fico um pouco angustiada com isto... beijocas