quinta-feira, 28 de junho de 2012

Levar tudo no avião

Quase todas as mamãs que têm falado comigo perguntam-me sobre a viagem de avião e a organização de tudo o que ao Martim diz respeito, em particular, os ouvidos e o transporte do carrinho.

Os Ouvidos

A ideia era que ele fosse a chuchar a chupeta e o biberão sempre que o avião estivesse a levantar voo e a aterrar, e se, para lá correu bem, e com alguma piada lá conseguimos que o fizesse, para cá foi impossível, adormeceu e por nada agarrava a chucha, nem com açucar..  mas não acusou a pressão e não manfestou qualquer dificuldade.

O Carrinho

Não o despachámos como bagagem de porão porque fizémos um voo low cost (este tipo de bagagem é taxada), mas neste tipo de voo pelo menos, não sei se nos outros também é assim, as crianças podem levar um carrinho de bebé (carrinho e não cadeira para automóvel). Apesar disso, o nosso carrinho, para quem conhece, e como foi mencionado num comentário da Ana Raquel no post anterior, é de duas peças independentes, chassis e cadeira, por isso levámo-lo meio a medo que não passasse e tivesse de voltar para trás, mas não houve qualquer problema. Á entrada no avião desmontámos o carrinho que foi levado devidamente identificado, quando aterrámos, deixaram-no no meio da pista (em França, uma peça para cada lado sim, o que deu alguns nervos, e fez com que por momentos se perdesse uma das peças laterais que permite encaixar cadeira no chassis, mas nada que num francês arranhado os impedisse de andar de rabo para o ar, em plena pista á procura da pecinha...tudo acabou bem) Para cá já fomos mais precavidos e tirámos as peças, correu tudo bem (embora para cá não tenha vindo identificado o que me causou alguma neura (claro está que foi o papá que entregou o carrinho)).

Assim que falei com quem nos rodeia que ia fazer uma viagem de avião com o Martim, muitas foram as vozes que nos tentaram demover, "ele vai cansar-se, não vai ter paciência, é perigoso para os ouvidinhos, não é prático" enfim ouvimos muita coisa. Mas resumindo, foi óptimo. Nada vai apagar da minha memória a sua felicidade quando viu de perto um avião a levantar voo, a sua excitação á entrada do "nosso" avião, a curiosidade, o olhar atento e  interessado, e acima de tudo, a felicidade. O voo tentámos prepará-lo levando connosco uns puzzles (que nos esquecemos em casa...) um tablet cheio de videos da Casa do Mickey Mouse (os seus bonecos favoritos), biberão, chucha, chupas (que também ficaram em casa) e rebuçados que um menino que lhe ofereceu numa loja do aeroporto.... Não foi complicado, bem pelo contrário, inclui-lo na preparação do voo sem dúvida ajudou imenso.

E vê-lo dirigir-se a um elemento da tripulação com uma moeda (dos carrinhos do continente) na mão, oferecendo-a para o avião voar... priceless!



2 comentários:

Mara Quinta disse...

Um post muito útil!
O João fez a primeira viagem de avião com 13 meses, para a Madeira. E o ano passado fomos a Porto Santo, tinha a Rita 14 meses. E foi tranquilo :)
Beijinhos

As minhas africanisses disse...

Eu acho que fazem muitos dramas para viajar de avião. como sabes trabalhei na tap e vi crianças com dias a andar, é normal, sim sofrem de ouvidos como os adultos e sim a única coisa em que temos de ter cuidado é a comida, de resto é sair, divertir e aproveitar. Um dos meus sobrinhos foi para o méxico com 2 anos e portou-se que nem um senhor, e olha que não é sossegado. e no ano passado os dois mais pequenos foram para cabo verde e é a repetir... nada de dramas, fizeste bem ir e que venham outras...